04/maio

Belo Horizonte retoma aulas presenciais

A volta às aulas presenciais em Belo Horizonte teve pouco movimento nesta segunda-feira (3). Na Emei do bairro Carlos Prates, havia apenas movimentação de funcionários, e na Emei da rua dos Timbiras, no Lourdes, poucos pais levaram seus filhos à escola.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (Sindrede-BH) informou que entre 65% e 70% dos servidores aderiram à greve sanitária. A entidade alega que os professores vão transitar entre as bolhas, que são os agrupamentos definidos pela prefeitura e, por isso, têm chance de se infectar.

A infectologista Melissa Valentini do Hermes Pardini disse que não é possível fazer um isolamento absoluto dos agrupamentos de alunos e professores. “A gente não vai conseguir fazer uma bolha absoluta, como fazem em torneios de tênis. Porque as crianças voltam para casa, os professores voltam para casa, e convivem com outros professores”, explica.

Em razão desse contato, a infectologista ressalta os cuidados que devem ser tomados pelos servidores da educação. “O mais importante é a questão da hora da alimentação. Os surtos que vimos em Campinas eram surtos em que os professores se reuniam, tiravam a máscara, se alimentavam e ocorreu a contaminação”, detalha.

Na Emei Urca Confisco parte dos professores está em greve. A unidade vai ministrar aulas presenciais nesta semana a partir de quarta-feira. O protocolod a prefeitura determina que cada grupo de alunos compareça à escola no máximo três vezes por semana.

A artesã Kátia Kayashima levou o filho Ian Kayashima, de 5 anos, à Emei da rua dos Timbiras. “Está sendo bem gratificante, ele ficou em casa sozinho durante um ano. Eu faço parte da comissão aqui da escola, e a unidade está bem preparada para receber os alunos”, diz.

Pela primeira vez, o Gabriel, de 4 anos, teve contato com o aprendizado presencial em meio à pandemia. A ida à escola foi comemorada pela mãe, Ana Paula Franco Marques. “A expectativa era grande, tanto dele quanto minha. Estou muito feliz porque foi tudo tão bem organizado e a gente sentiu muita segurança. Estamos amando. Isso significa o retorno para uma vida nova”, disse.

O retorno ao ensino presencial nesse primeiro momento está autorizado para crianças de até 5 anos e 8 meses. Por parte dos estudantes, a volta às aulas presenciais é opcional, e quem preferir pode seguir no ensino remoto.

O protocolo sanitário nas escolas inclui uma série de regras como:

  • Uso obrigatório de máscara de funcionários e alunos, exceto para os com menos de 2 anos de idade;
  • Tempo máximo de permanência do aluno na escola de quatro horas;
  • Demarcação de posição fixa dos alunos dentro das salas;
  • Limite de 12 alunos por sala;
  • Divisão dos alunos em grupos, que se alternarão entre o ensino remoto e presencial;
  • Lanches individuais devem ser realizados dentro de sala, sendo que cada aluno permanecerá na própria carteira;

Por Redação

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas