30/jul

Câmara adianta férias de assessoria de Tito, ao todo foram pagos mais 100 mil reais em salários

O vereador Tiago Tito, preso há 79 dias, permanece sem trabalhar na Câmara Municipal de Nova Lima, em todo esse período ele e sua equipe receberam mais de R$100 mil em salários. Agora pediram adiantamento de férias, embora não prestarem nenhum serviço. Entre os assessores que pediram férias, até Thiago Fernandes, chefe de gabinete  de Tito, que está preso junto com o vereador desde 11 de maio, entrou com pedido e recebeu cerca de R $ 8 mil além do salário mensal, no valor de R$16 mil. De todos os chefes de gabinete da Câmara, apenas o do vereador Tiago Tito entrou com pedido de férias.

Outro assessor que segue indiciado pela justiça é Romulo Vieira, que recebeu quase 12 mil reais, além dos R$ 11 mil de salário mensal, totalizando o montante de R$ 23 mil.

Luis Gustavo Duarte é assessor de Tito e também pediu adiantamento de férias. Citado diversas vezes na denúncia apresentada pelo MPMG, Luis Gustavo.

Escárnio com o dinheiro Público

Apesar de preso, Tiago Tito e seus assessores continuam recebendo normalmente. O pedido de férias dos assessores investigados é um tapa na cara da nova-limense. Como assessores presos e indiciados podem pedir adiantamento para ter mais dinheiro em espécie?

A população questiona a gestão da Câmara. Por que ser conivente com esse tipo de manobra, que não é ilegal, mas é extremamente imoral e acaba com a credibilidade dos responsáveis que administram a casa do povo.

Segundo os juristas ouvidos pelo Jornal Minas, o regimento da casa permite a destituição do vereador de seu cargo, de forma a manter o andamento dos serviços prestados pelos parlamentares sem ônus para os cofres públicos, ou seja, há um claro descaso com as funções legislativas, isso incorre no crime de prevaricação. Prevaricação é quando o servidor público no exercício de sua função atrasa e/ou deixa de praticar ou praticar indevidamente ato oficial, ou praticá-lo contra disposição expressa da lei, para satisfação de interesse ou sentimento pessoal.

Regimento da CMNL

 

Isto é uma vergonha! O que um vereador e seus assessores presos e indiciados ainda fazem com um salário? Pedindo férias? Eles estão testando a paciência do povo?

Esta falta de tato e conhecimento do sentimento público leva o presidente Aninsinho a cometer irregularidades, resta a população saber se eles está sendo mal assessorado, ou vai correr o risco de responder por crime de responsabilidade afim de manter um bom relacionamento com um vereador que está preso por  ameaçar uma mulher e cometer crimes contra a administração pública.

O que é esse “auxílio prisão”? Será que o MPMG e a Câmara não veem que essa atitude é mais uma evidência de que a “rachadinha” ainda está acontecendo?

Veja os comprovantes:
Fonte: www.cmnovalima.mg.gov.br/transparencia

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Redes sociais
Jornal Minas