09/jun

Entenda o que motivou a discussão entre Juliana Sales e Danúbio na plenária desta semana

A plenária desta terça-feira (08) ficou marcada por um momento acalorado protagonizado pela vereadora Juliana Sales e o vereador Danúbio Machado ambos do Cidadania. A discussão gerou em torno de um projeto para a educação. As aulas irão iniciar de maneira hibrida e a grande maioria dos alunos sequer possuem conectividade com a internet.

A vereadora Juliana pediu para que um projeto fosse votado já na noite de ontem, visando a agilidade para o retorno das aulas. Após o pedido Danúbio tomou a palavra e disse: “Se colocar o projeto para ser votado hoje, vou ter que pedir vista, eu não tive tempo para analisar o projeto com a minha assessoria”.

A vereadora ficou visivelmente irritada com a resposta do seu colega de partido e perguntou para Anisinho (PTB), que é presidente da Câmara e responsável por distribuir os projetos de lei aos vereadores, a respeito de quando o projeto em voga havia sido distribuído. Anisinho respondeu que teria sido no dia 1° de junho. A resposta foi suficiente para acender o estopim de Juliana, que partiu para cima de Danúbio Machado: “Para projeto ruim você tem tempo né?”.

A discussão rapidamente tomou as redes sociais, onde moradores da cidade se manifestaram sobre o debate na Câmara Municipal de Nova Lima.

Veja o vídeo a partir dos 31:40

 

Anúncio

A redação do Jornal Minas procurou os parlamentares para esclarecimento, em nota Sales e Danúbio mostram seus pontos de vista, que vocês podem ver na íntegra abaixo.

Nota de Juliana Sales

“Lamento muito o que ocorreu hoje na reunião da Câmara. Eu, como vereadora, levo muito a sério o meu trabalho e me empenho ao máximo para estudar todos os projetos de lei e debater os problemas da cidade com a robustez e celeridade que os nova-limenses exigem do nosso mandato. Afinal de contas, quem tem problema tem pressa, independente de qual problema seja.

Dado esse ponto, me frustra muito ver um parlamentar postergar debates de interesse público com justificativa associada ao feriado, como o vereador Danúbio fez. Eu não debati com ele por alguma divergência pessoal, por “picuinhas” ou por inexperiência; fiz isso porque é um direito de quem mora em Nova Lima. A ineficiência parlamentar prejudica a vida das pessoas 24 horas por dia, 7 dias por semana e não pode ser vista com tanta naturalidade e aceita de maneira tão confortável.

O que eu digo tem fundamento. Inclusive, eu e minha equipe fizemos um breve levantamento interno e, a nosso ver, dos 5 projetos apresentados pelo Danúbio até o momento, 4 são inconstitucionais ou possuem algum vício de iniciativa. São eles:

  1. PLO 2017/2021 – Troco solidário – arquivado por inconstitucionalidade material;
  2. PLO 2029/2021 – Igrejas serviços essenciais – vício de iniciativa – matéria que deve ser regulamentada pelo Executivo e não pelo Legislativo;
  3. PLO 2030/2021 – Academias serviços essenciais – idem ponto 2;
  4. PLO 2057/2021- Cria fundo e conselho – vício de iniciativa – matéria que somente pode ser apresentada pelo Executivo.

Veja como isso é grave. 80% dos projetos apresentados por ele até o momento não deveriam sequer ser levados a debate. Quando temos um vereador que apresenta reiteradamente esse tipo de projeto, todos saem perdendo e especialmente a população que fica na expectativa de um projeto assim virar lei, o que não vai acontecer, e todo o dinheiro, mão de obra e tempo legislativo despendidos a esses projetos foram em vão.

Apresentar um projeto com algum vício constitucional acontece, mas ter quase todas as suas matérias equivocadas em seu inteiro teor é de assustar e levanta a seguinte questão: qual o real objetivo em protocolar tantas laudas sem validade real? Ao meu ver, populismo. Vale lembrar que esse é o mesmo vereador que sugere que eu não possuo conhecimento legislativo. Ora, não sou eu quem estou apresentando esse tipo de projeto.

O Danúbio não me ligou em tom de respeito para falar sobre os projetos; me ligou solicitando que eu pedisse pra que os meus 3 projetos saíssem da pauta porque ele não deu conta de analisar em decorrência do feriado. Pedir vistas com essa motivação é inadmissível, ainda mais quando ele mesmo é um dos integrantes das comissões responsáveis por essa análise. Como disse, levo essas questões muito a sério e fui veementemente contra, mas quando uma mulher de primeiro mandato discorda de um homem, realmente a coisa muda de patamar.

Vejo neste caso e em outras situações, infelizmente, uma busca pela invalidação dos meus posicionamentos. As alegações são sempre as mesmas: dizem que estou em um primeiro mandato e por isso não teria conhecimento sobre um assunto, duvidam sobre o meu conhecimento legislativo, apesar de outros colegas homens também estarem em suas primeiras legislaturas, e subestimam o meu potencial.

Encaro nesses questionamentos algo claramente machista, como se eu precisasse provar, mais do que outros colegas homens, a capacidade que possuo para exercer meu papel como vereadora e que por ser mulher eu teria mais dificuldades em compreender os trâmites da Casa. Esses são exemplos comuns de comportamentos que tentam enfraquecer a atuação das mulheres na política e em tantas outras áreas.

Ressalto aqui que tenho respeito pelo vereador Danúbio. Mas jamais irei me permitir ficar calada perante ineficiência, descompromisso e muito menos atitudes que invisibilizam e diminuem mulheres em suas funções.”

Danúbio se pronunciou pelas redes sociais

Em reposta a redação o vereador diz que “Me posicionei na minha rede social. Obrigado pelo contato, e continue assim, sendo imparcial, e terá sempre o meu respeito. Ótima noite”.

Veja o vídeo que o vereador publicou em suas redes sociais:

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas