29/maio

Ex-assessora de Tiago Tito é inclusa no programa de proteção a testemunhas

A ex-assessora que denunciou esquemas de “rachadinha” e de corrupção no gabinete de Tiago Tito, preso e afastado pela justiça desde a terça-feira (11/6), recebe novas ameaças e é inclusa no Programa de Proteção à Testemunhas. Criada em 1999, por meio da Lei Federal nº 9.807/99, a política de proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas atende à demanda de toda a federação, seja por meio dos Programas Estaduais ou do Programa Federal, que com o forte apoio das Organizações da Sociedade Civil, protegem atualmente, cerca de 500 pessoas, entre testemunhas e seus familiares.

O Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas – PROVITA dialoga com as primeiras experiências de proteção articuladas pela sociedade civil antes mesmo dos poderes públicos estabelecerem medidas administrativas a fim de se implementar o modelo que temos hoje. Vale salientar que os demais Programas de Proteção em plena execução no mundo, são executados diretamente por estruturas estatais, mas obedecem a padrões de proteção que estão voltados necessariamente à proteção da prova.

Ex-assessora denuncia nova ameaça e pode ser retirada do estado

Após ser ameaçada, a ex-assessora apresentou denuncia formal, o que acarretou a prisão de Tito  seu chefe de gabinete. Mesmo presos, a testemunha recebeu nova ameaça. Como resposta, a Polícia Civil e o MPMG decidiram incluí-la no Programa de Proteção à Testemunhas, o que pode significar que a testemunha tenha que deixar o Estado de Minas Gerais para a preservação da sua vida e de seus familiares caso seja necessário, já que as denúncias apresentadas podem deflagrar numa investigação e chagar a outros nomes da política de Nova Lima.

Escolta policial e em casa da ex-assessora

A partir da entrada no programa, a ex-assessora terá escolta policial além de ter a presença policial próximo a sua residência, a fim de garantir a preservação da integridade física.

Inquérito entregue a justiça

A Polícia Civil finalizou na tarde de ontem (28) o andamento final do inquérito investigativo do processo de Tiago Tito. Aparentemente, todas as provas foram devidamente investigadas e a coisa parece não estar muito boa para o lado de Tito, segundo apurou a reportagem do Jornal Minas. O inquérito ainda incluí novos nomes, de vereadores e ex-vereadores, contém ainda nomes dos assessores de Tito, que podem ser arrolados como réus, respondendo assim aos mesmos crimes de Tiago Tito.

A foto utilizada como capa desta matéria é ilustrativa.

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas