23/dez

Jornalista, autor de livro que denuncia governo PSDB, é condenado a prisão

A juíza Barbara de Lima Iseppi, da Justiça Federal em São Paulo, condenou o jornalista Amaury Ribeiro Júnior, autor do livro A Privataria Tucana e colunista do UOL, a 7 anos e 10 meses de prisão.

Ele e outras quatro pessoas são acusados pela quebra dos sigilos fiscais, em 2010, de pessoas ligadas ao senador José Serra. Entre elas, a filha do tucano, Veronica Serra, e o então vice-presidente executivo do PSDB, Eduardo Jorge.

Na época, Serra era candidato à Presidência da República. O caso teve grande repercussão na campanha eleitoral, que deu vitória a Dilma Rousseff.

Os outros condenados são a ex-servidora da Receita Adeildda Ferreira Leão dos Santos, os contadores Ademir Estevam Cabral e Antonio Carlos Atella Ferreira e o office-boy Fernando Araújo Lopes.

A pena imposta a Ribeiro foi a mais dura, sob a acusação de oferecer ou prometer vantagem indevida a funcionário público.  Segundo o Ministério Público Federal, o jornalista “aliciou” um despachante para “obter indevidamente cópias das declarações do Imposto de Renda de Veronica Serra e Alexandre Bourgeois (genro de José Serra), mediante a utilização de documento falso”. A denúncia foi acolhida em 2013. O processo tramita em segredo de Justiça.

Na fase de instrução do processo, Amaury Ribeiro negou as acusações e sustentou que “jamais pagaria pela obtenção de dados fiscais sigilosos de qualquer cidadão”. Antonio Ferreira disse ser vítima de uma “armação”. Ademir Cabral alegou não ter qualquer participação no caso. A defesa de Adeildda disse que ela agia em desvio de função quando acessava as declarações de renda de contribuintes e que “a culpa deve recair sobre o superior hierárquico”.

Quem é Amaury Ribeiro Jr

É um jornalista investigativo  que ficou conhecido pela atuação no segmento dos direitos humanos. Ganhou notoriedade na publicação de seu livro “A Privataria Tucana”, lançado em 2011, onde esboçou esquemas escusos nas privatizações do governo Fernando Henrique Cardoso. No episódio, haveria lavagem de dinheiro em paraísos fiscais. O político Paulo Maluf também estaria envolvido e também é autor de O Lado Sujo do Futebol, publicado em 2014. Ao longo da carreira, ganhou três Prêmios Esso, dois imprensa Embratel e quatro Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

Por Redação Jornal Minas

Siga Jornal Minas nas redes sociais

Facebook Instagram Twitter Whatsapp 

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas