06/abr

Líder de Kalil reúne vereadores por ‘bandeira branca’ na Câmara Municipal

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Belo Horizonte se reuniu com o líder de governo Léo Burguês (PSL) horas antes da primeira reunião plenária do mês de abril. O encontro, que foi solicitado pelo interlocutor da prefeitura na Casa, foi visto como uma “sinalização de bandeira branca”, já que a relação entre Executivo e Legislativo vinha se deteriorando nas últimas semanas. No encontro, vereadores pediram melhor diálogo de Léo Burguês com os vereadores e que eles possam ter participação no comitê de enfrentamento da pandemia na capital.

Conforme apurou o Jornal Minas, a conversa teve cobrança na melhoria do diálogo do Executivo com os vereadores. Durante o encontro, três pontos foram colocados como prioritários para que a relação melhorasse. O primeiro deles é de que a prefeitura incluísse no comitê de enfrentamento do coronavírus um representante da Câmara. Quem poderia ocupar esse posto seria Dr. Célio Frois (Cidadania), presidente da Comissão de Saúde.

O segundo aspecto abordado foi que a prefeitura passe a responder aos pedidos de informações enviado pelos vereadores. Com isso, o líder de governo elencou o terceiro ponto: pediu que os colegas, em vez de convocar secretários e representantes, optem, primeiro, por convidá-los. Pela legislação, se um membro do Executivo não atender uma convocação, ele pode incorrer em crimes de responsabilidade. A falta em um convite não gera risco de punição.

Burguês reafirmou que o objetivo da reunião era estreitar o relacionamento entre Legislativo e Executivo e ver quais são as insatisfações dos membros da Mesa Diretora e dos demais colegas. Perguntado sobre a sugestão dos convites em vez das convocações aos secretários, o líder de governo disse que ventilou essa possibilidade por achar que é a “melhor maneira de se agir”, além de ser a “mais usual”, mas ressaltou que a Câmara tem “toda a liberdade de fazer como vem fazendo”, de convocar logo na primeira oportunidade.

Sobre a sinalização de paz, Léo Burguês disse que “o objetivo é levantar essa bandeira branca em prol da cidade”. Ele se propôs a resolver alguns pedidos de informação excepcionais antes do prazo de acordo com a importância e a “pressa”. Ao ser indagado sobre como está a relação com a presidente, o líder de governo disse que levou chocolate para ela antes da reunião e que não há nenhum tipo de estresse.

Anúncio

A presidente Nely Aquino disse que o pedido prioritário foi de um diálogo melhor, já que “existe uma falha grande nessa interlocução” por parte da prefeitura. Perguntada sobre como vê o aceno de “bandeira banca”, a chefe do Legislativo pontuou que “não vê vereadores querendo criar guerra, mas pontes”, e acredita em uma relação mais amena se o posicionamento do Executivo mudar.

Em relação à participação de um membro do Legislativo no comitê que define os rumos da capital no combate à pandemia, Nely ressaltou que os vereadores só ficam sabendo das decisões tomadas pelo Executivo por meio da imprensa.

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas