22/mar

Bruno Sarti, presidente do Villa Nova acusa João Marcelo de não cumprir promessa

Prefeito volta atrás em acordo e Villa Nova pode fechar as portas sem subvenção da prefeitura, diz Bruno Sarti presidente do clube em nota emitida no último sábado (20). João Marcelo (Cidadania) que havia decidido repassar 2,5 milhões de reais, revoga a decisão alegando irregularidades no clube.

Leia: Prefeitura de Nova Lima corta verba pública do Villa Nova

Segundo gestão atual do Leão do Bonfim, o clube se encontra em total abandono, situação conhecida muito bem pelo atual prefeito, já que o próprio João Marcelo foi presidente do conselho deliberativo entre os anos 2017/19.

Bruno confirma que a subvenção seria utilizada para quitar além de um passivo de 200 mil reais contraído entre outubro de 2020 à janeiro de 2021, dívidas trabalhistas e comuns. Frente a todas essas demandas, a atual diretoria adotou medidas mais duras em relação a situação de sucateamento do clube, relatando ter sido maior do que o imaginado, sendo questionadas também a clareza das prestações de contas da administração anterior.

Com todos esses exemplos de descaso administrativo, o Villa Nova está fadado a fechar suas portas encerrando uma história de quase 113 anos.

Vários torcedores indignados culpam as administrações públicas e as anteriores do próprio Villa de serem coniventes com as irregularidades apresentadas na nota de esclarecimento da Prefeitura citadas também na nota do Villa. E todos aguardam um milagre e que Deus salve o Villa, lamentam.

Nota do presidente reafirma posicionamento da prefeitura

Segundo a nota, além de dividas trabalhistas, um passivo com a Federação Mineira de Futebol (FMF) o dinheiro seria destinado a pagamento de uma agência de marketing e pagamentos de contratos de jogadores no futebol profissional. Alguns destes gastos inviabilizaram o repasse da prefeitura, além da já exposta falta certidões necessárias.

Política e futebol

Ainda segundo o presidente Bruno Sarti, houve um acordo horas antes das eleições, onde o prefeito João Marcelo se comprometeu a enviar a subvenção; “na manhã do dia 2 de janeiro de 2021, tivemos a resposta, naquele momento, de que o Villa receberia a subvenção no ano de 2021. O Prefeito se comprometeu a aceitar as condições, assim como a diretoria postulante. Na tarde do mesmo dia, a atual diretoria obteve êxito e foi eleita e empossada.” Afirma o presidente do Villa.

Além de Bruno, formam a atual diretoria o vereador Tiago Tito (PSD) como 1° Vice-Presidente Administrativo e Cláudio Horta como 2° Vice-Presidente Financeiro.

Leia: Bruno Sarti é o novo presidente do Villa

Anúncio

Esta fala do presidente do Villa vai de encontro com a declaração de João Marcelo durante campanha, em entrevista ao Jornal Minas, o então candidato afirmou que não manteria o repasse e que o desejo dele era que o “Villa seguisse com a as próprias pernas junto a iniciativa privada”.

Veja a entrevista de João Marcelo, aos 6 minutos ele fala sobre o Villa Nova:

 

Siga Jornal Minas nas redes sociais
Facebook Instagram Twitter Whatsapp 

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas