09/jul

Decisão de juíza confirma crimes no gabinete de Tiago Tito

Na tarde desta última quinta-feira (8), o pedido de Habeas Corpus impetrado pelos advogados de defesa de Tiago Tito foi negado por desembargadores e sua prisão foi mantida.

Os desembargadores pediram um parecer da excelentíssima juíza Anna Paula Vianna Carvalho que se manifestou favorável pela manutenção da prisão de Tito, em seu parecer a juíza alega que a manutenção da prisão: “é necessária para a manutenção da ordem pública”. LEIA AQUI

A defesa de Tiago Tito apresentou áudios para reforçar o pedido de soltura, mas a juíza entendeu que a apresentação dos elementos de informação trazidos aos autos traz mais indícios da existência do denominado esquema de Rachadinha”. Ou seja, no entendimento da juíza, os elementos apresentados pela defesa de Tito só confirmam ainda mais a existência de crimes no gabinete do parlamentar.

O Ministério Público também emitiu parecer contrário a soltura de Tiago Tito. A excelentíssima Promotora de Justiça Renata Cerqueira pugno os elementos apresentados pelos advogados e manifestou-se por manter a prisão: Nestes termos, pugno pela submissão a perícia quanto aos áudios apresentados; e pela manutenção da prisão preventiva, já que seus fundamentos subsistem”.

A promotora complementa em sua manifestação dizendo: “Tiago em momento algum desmente sua interlocutora ou sequer a indaga sobre qual informação comprometedora ela teria capaz de prejudica-lo, revelando que sabia muito bem do que se trata, fazendo prova contra si mesmo”.

No entendimento do Ministério Público, a tentativa de Tiago Tito foi um tiro que saiu pela culatra, que culminou produzindo ainda mais provas contra si mesmo.

Leia: Em áudio Tiago Tito assume “rachadinha” e culpa funcionários pelo esquema no gabinete

“Caso se admitisse tratar-se de uma ‘chantagem’, uma tentativa de extorsão, sem oposição nenhuma de quem está a gravar o áudio, há sérios elementos de que a informação que a interlocutora detém e que possa comprometer Tiago é séria e verdadeira, pois do contrário, ao invés de ficar gravando áudio ele teria rechaçado sua interlocutora do plano ou no mínimo procurado a Polícia para narrar o que crime de que teria sido vítima, se inocente” – complementou a Promotora do MPMG.

Análise Política

Ao que parece, depois de ler as manifestações tanto da juíza, quanto da Promotoria do MPMG, há indícios fortes de que Tiago Tito realmente praticou crime. Indícios que, em seu gabinete crimes graves eram cometidos. Também há indícios fortes que corroboram as ameaças feitas a ex-assessora que denunciou o esquema a Polícia Civil (GAECO) e ao MPMG.

O que falta saber, é, quanto tempo ainda será necessário para que Tiago Tito seja banido da política?

Bom, quem nos dirá é a Câmara Municipal de Nova Lima esta semana. Sabemos que os vereadores da Comissão Processante estão debruçados nesse caso, pois sabem que cabe a eles a difícil missão de moralizar a política da cidade.

Juliana Sales, Viviane matos e Danúbio Machado terão ainda mais elementos para dar um fim as práticas de corrupção “tão comuns” praticados na casa legislativa. É o que a população espera e merece. A Comissão Processante dará um ponto final nessa história, e Nova Lima enfim poderá começar uma nova história, uma nova política, a tão esperada renovação.

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas