02/mar

Farmacêutica de Nova Lima comercializa nova insulina que dará mais acesso ao tratamento da diabetes

A farmacêutica brasileira Biomm, que fica na cidade de Nova Lima, a 20 quilômetros de Belo Horizonte, acaba de disponibilizar no mercado nacional o biossimilar Glargilina (insulina glargina), em parceria com a chinesa Gan & Lee. O medicamento aumenta o acesso dos pacientes à insulina no país. A empresa planeja produzir o medicamento em sua fábrica, aguardando apenas a aprovação da Anvisa.

Anúncio

“O medicamento tem como diferencial a oferta de refil unitário, mais acessível aos pacientes pois, desta forma, eles não necessitam adquirir quantidades maiores do que as suas necessidades mensais, por exemplo. Isso gera economia e evita gastos extras”, afirma Heraldo Marchezini, CEO da Biomm.

Heraldo Marchezini, CEO da Biomm

A segurança do medicamento também é outro benefício. Estudos demonstram que a insulina glargina é mais segura e mais estável do que a insulina humana (NPH), atualmente a mais utilizada no país, apresentando o mesmo nível de eficácia.

Além da Glargilina  empresa tem acordo de licenciamento, comercialização e distribuição com a farmacêutica chinesa Bio-Thera Solutions Ltd. Com a parceria, a biofarmacêutica brasileira viabiliza no país o medicamento Bevacizumabe, voltado para o combate ao câncer.

Produção 

Recém construída em Nova Lima a fábrica da Biomm conta com o que há de mais moderno na produção de biomedicamentos e foi construída com o objetivo de proporcionar ao Brasil independência produtiva de medicamentos de alta tecnologia, como análogos de insulina e outros medicamentos biológicos.

Por Redação Jornal Minas

Siga Jornal Minas nas redes sociais

Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Redes sociais
Jornal Minas