10/mar

Mulheres encontram câmeras escondidas no banheiro feminino de Lava Jato em Belo Horizonte

Na tarde desta segunda-feira (8), um homem de 53 anos foi preso em flagrante  suspeito de assediar sexualmente pelo menos 12 funcionárias de um lava-jato no bairro Buritis, em Belo Horizonte. A polícia encontrou três câmeras escondidas no banheiro feminino do local.

De acordo com um boletim de ocorrência, uma das vítimas, de 27 anos, disse que por volta das 14h se dirigiu ao banheiro para pegar seu celular. No momento em que a lanterna do aparelho foi acionada, ela viu uma câmera filmadora no teto do local. Então ela começou a chorar e chamou uma colega de trabalho.

Segundo funcionárias do estabelecimento, é contante a importunação sexual. Muitas vezes o autor as chamavam de “gostosa” e oferecia dinheiro em troca de “serviços” sexuais.

Anúncio

As vítimas começaram a suspeitar que havia uma câmera no banheiro, pois o assediador sabia sobre a menstruação e que roupa íntima estavam usando. Além disso, disseram, que o dono do lava jato reclamou que elas não tomavam banho no local.

As mulheres, de 19 a 53 anos, também disseram que o suspeito fez ameaças quando o questionaram sobre assédio e direitos trabalhistas.

Após investigação da Polícia Civil, além da câmera encontrada pelos funcionários, foram localizadas outras duas, uma ao lado do banheiro e outra no topo da janela.

O homem disse à polícia que o local onde hoje fica o banheiro seria usado como depósito. Segundo ele, essas câmeras não funcionam corretamente e, como não pagou pelo serviço, não pode obter nenhuma imagem delas.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Atendimento à Mulher, de Barro Preto, região Centro-Sul da capital. O caso será investigado.

Por Redação Jornal Minas

Siga Jornal Minas nas redes sociais

Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas