06/set

Tiago Tito quer acordo com o Ministério Público para se livrar da prisão

O vereador Tiago Tito (PSD) segue preso há 116 dias na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. Após ter os pedidos de Habeas Corpus negados pelo Ministro do Supremo Federal Dias Toffoli, os advogados de defesa de Tiago Tito tentam um acordo de não persecução penal com o Ministério Público de Minas Gerais. Segundo juristas consultados pelo Jornal Minas, o parlamentar estaria disposto a colaborar com a justiça para se livrar da prisão.

Leia: Preso, vereador Tiago Tito perderá mandato por ausência nas plenárias

O acordo de não persecução penal pode incluir inclusive a devolução do dinheiro adquirido pela prática da chamada “rachadinha”, ou até mesmo “delação premiada”.  O importante é que momentaneamente Tito parece disposto a colaborar.

Trecho da decisão

 

Clique AQUI e veja a decisão da Juíza Anna Paula Vianna, proferida no dia 3 de setembro.

O que é este acordo

Na pratica é uma fermenta da justiça penal consensual, em que o acusado reconhece os crimes, e o representante do Ministério Público entende que existem meios mais eficazes de reparar o dano causado pelos delidos do que a prisão.

Caso a defesa do vereador opte pela “delação”, Tiago Tito seria condenado, se tornaria ficha suja e ficaria inelegível por 8 anos, mas se livraria da prisão. Caso a defesa opte pela devolução do dinheiro as consequências seriam as mesmas, condenação, ficaria inelegível, mas seria posto em liberdade.

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Redes sociais
Jornal Minas