12/maio

Câmara de Nova Lima recebe pedido de cassação do vereador Tiago Tito

Vereador de Nova Lima, Tiago Tito foi preso na manhã de ontem, Terça-Feira (11) por esquema conhecido como ‘rachadinha’. O vereador foi preso preventivamente durante operação do MPMG e Polícia Civil; Tito também é acusado de ameaçar servidora que denunciou caso. A mulher teve o carro queimado após denunciar o esquema na Câmara Municipal de Nova Lima e denuncia que sofreu ameaças do próprio vereador e de seu assessor Thiago Fernandes.

De acordo com o promotor de Justiça Fabrício Fonseca Pinto, que atua nas investigações do caso, a vítima teria sido ameaçada e teve um carro queimado após denunciar o esquema de irregularidades na cidade da Grande BH. O parlamentar está detido de forma preventiva devido às ameaças contra a ex-assessora.

Além do esquema de “rachadinha” no gabinete do vereador, a operação também apura os contratos firmados por uma empresa com o Poder Público. A suspeita das autoridades é que os contratos eram obtidos a partir de influência do parlamentar junto à Câmara e a Prefeitura da cidade. O dono da empresa foi alvo de mandados de busca.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (11), o promotor disse que ela foi ameaçada diante da possibilidade de delatar o esquema.

— Em um primeiro momento o veículo dela foi queimado em circunstâncias suspeitas, em frente à residência dela. Em outro momento, ela foi ameaçada pelo próprio parlamentar porque foi veiculado em uma rede social, em Nova Lima, que ela poderia delatar o esquema. Ela foi ameaçada em razão dessas informações.

De acordo com a promotoria do MPMG, em um primeiro momento, a servidora recebia cerca de R$ 3 mil e ficava com pouco mais de R$ 1 mil, repassando o restante para o vereador.

— Quando ela entrou em licença, recebeu uma proposta para passar a ganhar R$ 9 mil e repassaria cerca de R$ 7 mil ao parlamentar. Mas ela sofreu prejuízos porque deixou de receber alguns benefícios que recebia anteriormente. E, com isso, não conseguiu mais fazer o repasse integral.

Segundo as investigações, a vítima procurou o Ministério Público no final do ano passado, após a primeira fase da operação Contrato Leonino, para realizar a denúncia.

Anúncio

Prisão

O vereador Tiago Tito (PSD) e  seu chefe de gabinete foram presos em uma investigação sobre a prática de “rachadinha” na Câmara Municipal da cidade.

Além disso, os órgãos apuram a influência de vereadores na destinação de cargos públicos, além de fraudes a processos licitatórios nos Poderes Executivo e Legislativo. Segundo o MP, há investigação em curso sobre lavagem de dinheiro decorrente de práticas criminosas.  A lavagem de valores decorrentes das práticas criminosas também está sendo investigada.

Além da prisão dos dois alvos, a operação também cumpriu 13 mandados de busca e apreensão, na casa e no gabinete do vereador e do chefe de gabinete, além da casa de um empresário e na sede da sua empresa.

Pedido de Cassação de Mandato

Na manhã desta quarta-feira (12) a Câmara Municipal recebeu um pedido de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar. O Jornal Minas ainda apura o conteúdo do pedido e aguarda um posicionamento da Câmara Municipal sobre o assunto.

Análise Política

Desde o dia 1° de Janeiro a Câmara de Nova Lima tem sido palco de inúmeros embates. Em Dezembro Tito tentou reunir um grupo de vereadores para disputar a presidência da casa . O vereador tentou emplacar sua chapa com o vereador Boi, Álvaro Azevedo, Juliana e Danúbio Machado, desde então inúmeras judicializações foram recebidas  na casa na tentativa de obter o controle da mesa diretora.

Talvez agora a população consiga entender as intenções e o desespero de Tiago Tito para assumir o controle da Câmara Municipal de Nova Lima.

Por Thiago Carvalho

JORNAL MINAS reforça seu compromisso com o profissionalismo, a qualidade e o jornalismo mineiro. Nossa redação fornece informações responsáveis ​​e confiáveis ​​todos os dias. Apoie a informação de qualidade, siga-nos pelas redes sociais – Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas