02/jan

Discussão acalorada e boletim de ocorrência marcam a eleição do presidente da Câmara em Nova Lima

A posse dos vereadores em Nova Lima, realizada nesta segunda-feira (1), na Câmara Municipal de Nova Lima, foi marcada por ânimos exaltados e manobra para a eleição do novo presidente da Câmara.

O processo da votação provocou polêmica, objeções, discussões, expulsão e até boletim de ocorrência após a decisão sobre o vencedor. Presidida pela primeira mulher em sua história, a vereadora Juliana Sales, os nova-limenses nunca tinham presenciado uma sessão tão tumultuada.  A confusão, no entanto, já seria esperada diante dos últimos posicionamentos de vereadores na semana passada em redes sociais, sendo cobrados pela população. O vereador reeleito para seu segundo mandato, Tiago Tito (PSD), chegou a produzir um vídeo no qual alega sofrer perseguição.

 

Vídeo divulgado pelo vereador Tiago Tito – Clique para assistir

 

Leia: Eleição da Câmara Municipal de Nova Lima pode ser decidida pela idade

Sessão desastrosa

A sessão, presidida por Juliana Sales, foi paralisada por debates sobre o regimento interno da casa. Sales chegou a expulsar o procurador da Câmara, Dr. Luciano Augusto de Freitas, que cobrou o seguimento dos ritos corretos. A presidente, demostrando desconhecimento do regulamento, tentou modificar até a diretriz da votação, que é por ordem alfabética.

Como previsto, a disputa ficaria entre Anisinho (PTB), candidato declarado desde o início das articulações e Boi (PSL). As chapas inscritas foram: Chapa 1 – Ansinho, Chapa 2 – Álvaro e Chapa 3 – Boi.

Na primeira votação, Chapa 1 – Anisinho recebeu 5 votos, Chapa 2 – Álvaro também recebeu 5 votos, já a Chapa 3 – Boi não obteve nenhum voto, incluindo o seu, no entanto, devido ao empate entre Álvaro e Anisinho, Boi também seguiu para o segundo turno. Desta vez, foi Álvaro quem não logrou sequer o seu voto, caracterizando outro empate entre Anisinho e Boi. Dessa forma, Boi foi eleito pelo critério de idade.

Como votou cada vereador:

 

Votos em Anisinho: Thiago Almeida, Claudinho, Anisinho, Zé Lino, Viviane Matos

 

Leia:  Rachadinha e superfaturamento podem chegar a 3 milhões de reais na Câmara de Nova Lima

 

Votos em Boi: Álvaro, Danúbio, Boi, Juliana e Tiago Tito

 

Entenda:

A Lei Orgânica do Município de Nova Lima permite que os dez vereadores disputem os cargos da mesa: presidente, vice-presidente e secretário. Porém, formam-se grupos em torno de um nome e quem obter a maioria simples é eleito. No caso de empate, a vitória fica com o vereador mais velho, que nesse caso, é o José Carlos Boi, nascido em 1954, dois anos mais velho que Anisinho, 1956.

Desta forma, Sales declarou Boi eleito presidente da Câmara de Nova Lima, com Tiago Tito de vice e Zé Lino como secretário.

Impasse na justiça

Segundo alguns juristas consultados pelo Jornal Minas, devido aos regimentos internos da Câmara Municipal de Nova Lima e a Câmara Legislativa dos Deputados – que é a referência nacional – a chapa perdedora (chapa 3 – Boi) não poderia ser votada em segundo turno, o que define Anisinho eleito presidente de acordo com a Lei Orgânica. Contudo, a presidente da sessão Juliana Sales, decidiu mantê-la contrariando os regimentos, o que ocasionou a sua vitória devido ao critério de idade do candidato. O resultado gerou protestos e o caso continuou na delegacia, na qual foi registrado boletim de ocorrência e segue para a Justiça.

+ Notícias de Nova Lima

Por Thiago Carvalho

Siga Jornal Minas nas redes sociais

Facebook Instagram Twitter Whatsapp

Compartilhar esta notícia:


Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas