27/jan

Vice-prefeito assume Secretaria de Saúde após polêmica de edital para compra de Kit COVID-19 em Nova Lima

O vice-prefeito Diogo Ribeiro é o novo Secretário de Saúde de Nova Lima. O anúncio foi feito pelo prefeito João Marcelo, na tarde deste domingo (24), em redes sociais. O cirurgião-dentista assume o cargo após a renúncia de Dr. Rafael Guerra. O ex-Secretário colocou o cargo à disposição depois da repercussão negativa, em rede nacional, da divulgação de pregão para compra de medicamentos para “tratamento precoce” da COVID-19.  Os fármacos listados no documento, a hidroxicloroquina, a ivermectina e a azitromicina, são refutados pela ciência e a comunidade médica por não terem pesquisas conclusivas que comprovem a sua eficácia.

Leia: Prefeitura de Nova Lima pretende gastar R$ 600 mil em medicamentos sem eficácia comprovada

Novo Secretário ressalta a importância da pasta no momento atual

Diogo assume a Secretaria de Saúde, “interinamente e sem prazo definido, até que uma nova escolha seja apresentada pelo Governo Municipal”, informa em nota a Prefeitura.  O documento esclarece ainda que, “além de dentista com ampla experiência e especializações na área odontológica, Diogo também já atuou na rede pública de saúde do município, tendo conhecimento dos processos de gestão que são necessários para condução da pasta”.

 

Dentista Diogo Ribeiro – Vice-prefeito de Nova Lima

 

O novo Secretário declarou que recebe essa a nova função “com total disposição e entendimento da situação na qual estamos”. Na nota, Diogo ainda faz menção à relevância do setor de saúde em tempos de pandemia “essa uma das principais áreas da nossa cidade, especialmente neste momento, e não tenho dúvidas de que, além de estrutura, temos profissionais tecnicamente capacitados e envolvidos com a pasta, que estarão ao nosso lado, contribuindo com os nova-limenses”, declara Diogo.

População repercute a troca de secretário

Após o anúncio, nas redes sociais, alguns moradores manifestaram apoio à decisão do prefeito, demonstrando mais uma vez, o descontentamento de parte população em relação à pretensão de uso de verba pública, estimada em torno de R$ 600 mil, com aquisição de medicação com efeitos controversos. Na publicação do prefeito, além de evidenciarem que esta ação está alinhada com o discurso de João Marcelo em ouvir a opinião pública, alguns seguidores também polemizaram a saída do Secretário ao associarem a sua atuação à frente da pasta, com a “corrente negacionista”, termo cunhado para designar quem contradiz estudos da ciência. Outros, lamentaram a renúncia do Secretário, que tem mais de 50 anos no exercício da Medicina e uma longa trajetória como parlamentar, além de já ter atuado em diversos cargos públicos.

Processo de licitação cancelado

Com menos de 30 dias de gestão, o que seria mais um esforço para o combate à COVID-19, o edital de pregão se transformou em dor de cabeça para a Administração. Além da exoneração do Secretário de Saúde, a licitação para compra de medicamentos foi cancelada nesta segunda-feira (25).

Alguns moradores, que apoiavam a iniciativa de distribuição gratuita da medicação à população, afirmam que o Prefeito deveria ter mantido a posição sem ceder à pressão. É o caso do contador Carlos Martins que, afirma tomar, após prescrição da sua médica, três comprimidos de Ivermectina por dia, duas vezez ao mês. “Sou totalmente favorável ao tratamento precoce. Sou contador em Nova Lima e meu escritório não parou um só dia, tenho recebido meus clientes e mantendo distanciamento e uso de máscara. Um absurdo punir uma população sem dar o direito de fazer o tratamento precoce”, diz.

Carlos Martins Leite, contador – Morador do Bairro Jardim Canadá em Nova Lima

 

Já a estudante de Direito, Roberta Júnia, faz coro a parte da população que apoia a reação do Executivo diante da opinião pública. Ela também se diz contra a compra dos medicamentos. Segundo ela, o “momento é delicado para todos nós e, investir um valor alto em medicamentos não comprovados para a doença, traria sérias consequências para o município”, diz. Ela ainda ressalta que “cancelar o edital, foi a melhor coisa que fizeram. Se a prefeitura tem condições de investir, que invista na vacina, que é uma das principais medidas para controlar a pandemia e diminuir o impacto na saúde, econômico e social”, explica.

 

Roberta Júnia, Estudante de Direito – Moradora do bairro Barra do Céu em Nova Lima

 

O equilíbrio da gestão Vs A opinião publica

O estudioso em assuntos políticos, Thiago Carvalho, revela preocupação com o desdobramento do episódio. Segundo ele, “esta situação acarreta um início conturbado no governo de João Marcelo que, além de não ter definido liderança no Legislativo, perde uma peça-chave no Executivo por pressão popular”, explica. Ele ainda salienta que “o edital contou com a assinatura do prefeito, o que evidencia que ele concordou com a compra dos remédios”. Carvalho ilustra que “essa ocorrência pode gerar insegurança política no próprio Secretariado do governo e inibir ações necessárias para a condução da cidade, tendo em vista, que os demais membros não têm respaldo para tomada de decisões  que podem ser consideradas  impopulares.

 

Thiago Carvalho – Consultor político

 

Em comunicado, o Executivo afirma que “O Governo Municipal reitera que segue aberto ao diálogo e ao debate construtivo, atento ao posicionamento de outros setores da sociedade e firme no propósito de controlar o avanço da COVID-19 em Nova Lima, investindo nas várias frentes de combate à doença”.

Ações de combate à COVID-19:

A Administração Municipal informou que “segue com os investimentos e esforços para enfrentamento da pandemia da Covid-19 na cidade, estando preparada e com estrutura de profissionais e insumos para seguir com o plano de vacinação, mediante envio das doses pelo governo do estado. Além disso, tem reforçado as estratégias de combate à doença, como ações de comunicação e também de fiscalização, em todas as regiões da cidade, além da realização de testes PCR nos casos suspeitos e monitoramento e acompanhamento das pessoas que tiveram contato com casos confirmados.”

Nas redes sociais, foi divulgada na tarde de ontem (25/01) o comunicado sobre o recebimento das 659 doses de vacina que serão distribuídas conforme comunicado abaixo:

 

Por Ana Carina Rodrigues

Siga Jornal Minas nas redes sociais

Facebook Instagram Twitter Whatsapp 

Compartilhar esta notícia:


Comentários


Anúncio


Redes sociais
Jornal Minas